9.10.05

: v i c i a d a :

"O tempo, subitamente solto pelas ruas e pelos dias,
como a onda de uma tempestade a arrastar o mundo,
mostra-me o quanto te amei antes de te conhecer.
eram os teus olhos, labirintos de água, terra, fogo, ar,
que eu amava quando imaginava que amava.
era a tua voz que dizia as palavras da vida. era o teu rosto.
era a tua pele. antes de te conhecer, existias nas árvores
e nos montes e nas nuvens que olhava ao fim da tarde.
muito longe de mim, dentro de mim, eras tu a claridade."

José Luís Peixoto, in "A criança em ruínas"

*

3 comentários:

little_blue_sheep disse...

:D
Optima escolha!Também viciado por José Luís Peixoto.

Rita disse...

pois é... há coisas que simplesmente se enrolam ao nosso coração. :) *

segurademim disse...

... muito bem descrita a sensação da mulher grávida, em relação ao seu bébé que está para nascer !!!
muito bonito este poema, escolha com mt sensibilidade...