21.2.07

também Ontem

E é por saber que estiveste à distância de um abraço, de um simples gesto que não suporto a ideia de estar aqui, de me negar ao que mais quis na altura: sentir-te comigo. Mas acho que só quando te sentir perdido, irremediavelmente perdido (e já sinto, porque como diz a sabedoria popular "longe da vista, longe do coração") para quem te souber dar a atenção que pedias, ou para sempre, é que vou chorar e lamentar o desespero de nunca, ou quase nunca ter feito nada. Hei-de dizer então, que há quem precise de ti mais do que eu jamais precisei (é uma boa desculpa para uma dor sem remédio).

4 comentários:

Rita disse...

as segundas oportunidades servem para recuperarmos o que falhou à primeira. há sempre um lado dourado das coisas d:

segurademim disse...

... se não precisas, tanto melhor

mas se não for assim, faz o que fôr preciso para recuperar o tempo perdido encurtando a distância

bom fim-de-semana :)

Miguel disse...

a distância é difícil de suportar, quando não há estrutura a que nos agarrarmos acabamos por quebrar, é humano.

mas antes ser ermita, do que viver a chorar quem já passou

um beijo

pedro disse...

ser ermita não é opção... não sei se é melhor do que viver a chorar quem já passou... as vezes dou por mim a lamentar quem perdi... outras abraço como ermita a resignação...
damos de nós e pronto... as vezes ganhamos... as vezes perdemos... as vezes ficam apenas os pedaços de nós que demos aos outros e que não conseguimos reencontrar.

depois...fica o vazio... fica o enredo sem trecho e quem sabe... a esperança de um dia começar de novo