16.12.06


Ao contrário do que dizem por aí o amor não mata. Ele magoa, despedaça, corta, mas não destrói a alma. O brilho dos olhos é tão recuperável quanto o sangue derramado após um corte profundo. Mas o próprio corpo trata de esconder as perdas nos seus devidos lugares. Seja de que maneira for.

2 comentários:

Rita disse...

sim, tb acho q ele não mata, apenas nos dá momentos menos bons de vez em quando. mas, depois, acabamos sempre por verificar que compensa tudo, não é?

Luciana Melo disse...

Há muitos tipos de mortes... algumas são bem-vindas para que saibamos carpir o necessário e nada além disso.
Abraço